9 crianças e adolescentes exibem com orgulho suas cicatrizes

A infância é um dos momentos mais incríveis da vida, mas também pode ser muito traumático: experiências negativas podem criar marcas psicológicas difíceis de superar. Qualquer peculiaridade física, como altura, cor da pele, corte de cabelo, uso de óculos, etc. pode se tornar motivo de chacota para colegas de escola.

Porém, é preciso influenciar muito mais na conscientização, tanto dos filhos quanto dos pais, para que essas diferenças são aceitas como normais.

Uma campanha organizada por Assistência Médica Infantil de Atlanta, em colaboração com o fotógrafo Kate t Parker, tente elevar a autoestima de crianças com cicatrizes.

Kate acha que todos nós temos nossas próprias cicatrizes, mas muitas vezes elas nem são marcas físicas. "Minha esperança é que as pessoas possam reconhecer essas mesmas cicatrizes e não vê-las como uma falha ou algo a esconder"explicado no jornal Huffington Post.

É por isso que ele fotografou crianças que têm marcas na pele e não têm vergonha delas:

1) Trabalhei muito por essas cicatrizes. Tenho orgulho desses cretinos ».

Emmy

Emmy, seis anos, com diagnóstico de anemia falciforme.

2) "Minhas cicatrizes são minha história".

nylah

Nylah, 16, usou parte do osso da perna para reconstruir a mandíbula.

3) "Eles me deixaram assim por algum motivo."

Lastro

Lester, 7 anos. Ele nasceu com lábio leporino e fenda palatina.

4) "Não tenho nada que dizer. Minha cicatriz diz às pessoas que eu sobrevivi a algo grande. "

Cierra

Cierra, de 15 anos, tinha câncer nos ossos.

5) "Coisas acontecem. Levante-se, supere isso e siga seu sonho ».

Christina

Christina, 8 anos. Ele quebrou o joelho.

6) Seus olhos dizem que ela é uma lutadora. Suas cicatrizes mostram que ela é uma guerreira. "

Ava

Ava, 2 anos, que fez uma cirurgia cardíaca.

7) Quem gosta de perfeição? A perfeição é enfadonha. "

Nour

Nour, 11 anos. Ele tem uma perna amputada devido ao câncer.

8) Eu posso lidar com qualquer coisa. Até mesmo os perseguidores ».

juliano

Julian, de 10 anos, tem duas pernas protéticas.

9) "Nada pode me parar".

Amelia

Amelia, 3, nasceu com um defeito cardíaco congênito.


Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.